domingo, 10 de janeiro de 2010

Como utilizar uma plaina

É realmente importantes saber como começar a utilizar a plaina, uma ferramenta fundamental na Marcenaria, ou na Carpintaria.

Existem  diversos tipos de plainas em madeira e metálicas; os mais variados tamanhos e modelos, cada uma com a função corresposndente.

Plaina elétrica :Verifique primeiro a largura, a potência e a profundidade do corte máximo que a maquina efectua.
Esquadro :É indispensável para traçar os cortes a efectuar numa peça de madeira.
Régua :Uma régua comprida e recta serve para controlar o plano das superfícies de maiores dimensões.
Bancada :Uma bancada acima de tudo tem de ser estável, para executar trabalhos pesados ou delicados.
Guia :Para aplainar superfícies rectas e em ângulos rectos, é aconselhável a utilização de uma guia.
Torno :Escolha um torno suficientemente pesado para ficar estável, ou um modelo que possa ser fixo na bancada, do forma a manter o seu trabalho fixo e estável, com as melhores condições para aplainar.
Grampos :Indispensáveis para fixar correcamente as peças para trabalhar na bancada ou auxiliar em montagens.
Maço de Madeira :Utilize unicamente um maço (em madeira) para exercer mais força sobre o formão.
Luvas e óculos :Calce luvas e utilize óculos de segurança para se proteger das farpas e lascas.
A plaina manual :Existem vários modelos e formatos de plainas manuais. O ferro (a lâmina) é ligeiramente saliente em relação à base. A plaina, ao deslocar-se, corta uma fina apara de madeira que em seguida é destacada pelo contra-ferro : o deslocamento da ferramenta não deve por isso ser interrompido.
A plaina de calço :A plaina mais comum (chamada de calço ou de acabamento), é longa com cerca de 25 cm e não tem, em princípio pega. Existem modelos rectangulares ou arredondados. Esta plaina serve para igualar a superfície de pequenas peças de madeira, (cantos de uma gaveta por ex.) Para as preparar para a lixagem.

Regulagem :
Controle a regulagem verificando sobre a base, a colocação do contra-ferro e a posição do ferro. Se a abertura não for suficiente, bata suavemente por cima da plaina. Bata no calço em seguida para fixar a lâmina no lugar. Para obter aparas mais finas, bata no corpo da ferramenta.

Como segurar a plaina :
Com a mão esquerda, segure o nariz da plaina enquanto a direita envolve o corpo. Algumas plainas estão equipadas com um parafuso ou um botão de regulagem; neste caso, coloque o polegar e o indicado em garfo à volta do apoio situado sob este parafuso, os outros dedos da mão segurando o corpo da ferramenta.
As plainas metálicas
Descrição :Existem também as plainas com o corpo inteiramente metálico, munidos de pegas em madeira ou plástico. Ferro e contra-ferro são mantidos sob pressão por um suporte e regulam-se por um parafuso ou alavanca de ajustamento. A vantagem das plainas metálicas : podem ser ajustadas com precisão.

Base ondulada : As plainas metálicas estão muitas vezes providas com uma base ondulada, que desliza melhor sobre madeiras resinosas ou húmidas. Este tipo de base reduz sensivelmente a fricção entre a ferramenta e o trabalho. O esforço a fazer e o risco de falsos movimentos são assim diminuídos.

Ajuste da plaina metálica : As plainas metálicas não estão equipadas com um calço mas com um suporte e têm um parafuso de ajuste. Estão igualmente providas com uma alavanca de ajuste lateral que deverá ser retirada para poder colocar a lâmina, depois descida para a bloquear. Certifique-se de que a parte cortante da lâmina fica paralela à base.

Como segurar a plaina : Segure a pega traseira de forma a que o seu indicador siga a inclinação do ferro. Esta posição permite controlar bem a deslocação da ferramenta. Com a outra mão, pode exercer pressão sobre a pega situada à frente.

Aplainamento fino ou grosso : Para o aplainamento fino, deve ajustar a plaina de forma a obter aparas finas. Para a madeira dura igualmente. Para o desbaste (a preparação das madeiras brutas antes de lixar), ajuste a ferramenta de maneira a obter aparas espessas. Certifique em qualquer dos casos que a plaina não entra em esforço.

Manutenção da plaina : Deite sempre a sua plaina de lado. Se pensar não a utilizar durante algum tempo, desmonte-a e limpe-lhe as peças. Mergulhe regularmente as partes de aço branco num pouco de óleo para evitar que enferrujem. Se restaurar uma plaina de madeira, não envernize a base.

Aplainamento manualPrecauções : Se trabalhar uma madeira já usada, verifique antes de tudo se não tem pregos ou elementos metálicos que podem danificar seriamente o ferro da plaina. Retire os pregos com a turquesa sem danificar a madeira : apóie a turquesa sobre um pedaço de madeira .

Aplainamento de cantos : Fixe a placa num torno, entre dois calços para que as mandíbulas não danifiquem a madeira. Coloque uma mão na pega traseira da plaina e coloque-a na extremidade do canto. A outra mão, segura-a lateralmente.

Pressão : Quando aplainar um canto, certifique-se de que não “mergulha” no início nem no fim de cada passo. Exerça por isso a pressão, inicialmente na frente da ferramenta, depois uniformemente sobre toda a superfície de base e, ao acabar o movimento, sobre a traseira.

Aplainamento as extremidades (bordas): Fixa a placa na bancada, encostando ao longo do seu canto vertical um suporte de madeira (prolongando o extremo a aplainar). Coloque a plaina totalmente sobre o seu trabalho, em viés 30º em relação ao canto a trabalhar, e aplaine em direção ao suporte (o qual evitará a formação de lascas).

Aplainamento de superfícies : Fixe solidamente o seu trabalho sobre a bancada. Comece por aplainar com uma grande abertura, a plaina em viés 45º em relação ao sentido do veio. Efetue movimentos retilíneos sobrepondo-se ligeiramente. Para o acabamento, reduza a abertura e proceda no sentido do veio.

Aplainando com plaina elétricaFuncionamento : A plaina elétrica está equipada com um cilindro rotativo contendo duas lâminas. A base situada defronte deste é de altura regulável, pode-se assim ajustar a diferença de nível entre a base dianteira e a base (fixa) traseira. As lâminas rodam a grande velocidade levantando as aparas.

Ajuste : Aqui, é ainda mais importante ajustar o ferro e o contra-ferro em função do trabalho, a profundidade do corte regula-se simplesmente com um botão que permite um ajuste muito preciso. Esta precisão de regulação, aliada à sua potência, fazem da plaina elétrica uma ferramenta eficaz, igualmente para os trabalhos delicados.

As lâminas : As lâminas (também chamadas facas), são de aço ou carbono. As duas devem ser colocadas ao mesmo tempo : se não for o caso, o desequilíbrio que daí resulta causa vibrações nefastas ao aparelho. Algumas lâminas de carbono têm duas arestas cortantes, uma vez usadas, não podem ser afiadas, devem apenas ser montadas no outro sentido, sem mais afiações. As laminas de carbono convencionas têm uma única aresta de corte e permitem ser afiadas várias vezes. Existem igualmente lâminas onduladas que permitem obter um efeito rústico.

Aplainando superfícies : Ligue a plaina antes de a pousar na superfície. Deve segurá-la de forma bem estável. Utilize as duas mãos, efectuando movimentos regulares. Quando aplainar grandes superfícies, é recomendável trabalhar com uma regulagem pequena efectuando passagens sucessivas.

Sentido de deslocamento : A plaina elétrica deve trabalhar também no sentido do veio. O trabalho faz-se de maneira mais confortável, a base desliza melhor sobre a madeira e as lâminas correm menos riscos de se danificarem. Se, no entanto não puder seguir no sentido do veio, oriente o aparelho na diagonal.

Técnica de manuseioAplainando a extremidade (borda) da madeira : É quando faz esta operação, que se arrisca mais a ver a madeira lascar. Para o evitar, comece a aplainar a placa dos bordos para o centro. Ou proceda como no caso do aplainamento manual : encoste um suporte de madeira ao longo do canto que vai aplainar.

Chanfrar : A ranhura em V, no centro da base frontal, permite chanfrar rapidamente e sem dificuldade. Basta para isso colocar esta ranhura sobre a aresta e guiar a máquina ao logo desta última. Mantenha constante um ângulo de 45º e efetue um movimento regular.
A guia :Guia ou batente, paralela, lateral ou ao longo : todos estes termos designam um só acessório, que se utiliza para aplainar cantos. Se este acessório for também ajustável em ângulo, pode biselar peças de madeira.

Ranhurar : A guia paralela permite regular tanto a largura como a profundidade do corte, é assim possível fazer ranhuras e mesmo, se a guia puder ser regulada em ângulo, fazer ranhuras em topos biselados.

Utilização estacionária :Montando a máquina, com as lâminas viradas para cima, sobre uma bancada equipada com um suporte fica com as mãos livres para deslocar a peça trabalhada, ao longo de uma guia por cima da máquina. O suporte deve ter uma capa de protecção que esconda automaticamente as lâminas.


A segurança
Aspiração : Uma plaina elétrica liberta muita serragem, porém, um saco coletor lhe oferece um desempoeirar constante. Como estes sacos são pequenos, torna-se mais eficaz se ligar a plaina a um aspirador (com um adaptador).

Os nós da madeira : Antes de aplainar elimine pregos, grampos ou manchas de resina que possam estar na madeira. Os nós nas placas finas podem tornar-se perigosos se descolarem e saltarem. Para evitar isto humedeça-os previamente e aplaine do exterior para o centro.

Utilização de um suporte : Quando utilizamos a plaina na forma estacionária, a protecção das lâminas não é suficiente. Se aplainar peças pequenas, sirva-se de um suporte apropriado para as manipular sem aproximar as mãos da lâminas.

Roupas de segurança : Utilize luvas e óculos de protecção para se proteger das farpas e lascas. Fixe sempre muito bem a peça à bancada, em particular as peças pequenas, que se arriscam a saltar ao colocar a plaina ligada em cima destas.

7 Opiniões ... Deixa ficar a tua...:

Aparecido disse...

Que gostaria de saber em uma plaina manual antiga,qual seria o angulo de corte para sair um bom cavaco.
Gratos

normand.claro disse...

Caros Jovens!
A matéria é muito boa de ler e entender.
Meus parabens

Normand

Dicaf disse...

Olá a todos.
Desde já agradeço os vossos comentários.

Respondendo ao Aparecido, o ângulo de corte varia consoante o tipo de plaina e o tipo de madeira a aplainar, Se esta é mais dura ou mais mole. Contudo Posso referir que o ângulo da lâmina situa-se geralmente entre os 25 e os 30 graus.

Posteriromente e assim que me for possivel colocarei um post relativamente à afiação das lâminas da plaina manual, que penso ser o suficiente para esclarecer essa duvida.

Dicaf

Anónimo disse...

Olá

gostaria de saber onde comprar apenas o cilindro rotativo de uma plaina de mesa

Dicaf disse...

Bem isso depende um pouco do tipo de plaina de mesa que estamos a falar.

Em primeiro lugar deverá verificar qual a marca e modelo da máquina e contactar a marca relativamente à peça em questão.

Caso seja uma máquina um pouco antiga torna-se mais complicado porque após o lançamento de alguns modelos, as peças para modelos mais antigas começam a ficar descontinuadas, de maneira que é quase impossivel conseguir obtê-las, a menos que arranje uma máquina identica avariada para peças.

Mas acima de tudo o melhor mesmo é contactar representantes de marca.

Dicaf

Elemrozy Rozy disse...

Que tipo de material uma plaina de mesa fresadora usina?

ana lia disse...

muito bom, o conteúdo...sempre que possível poste mais...

Enviar um comentário

Deixa a tua sugestão, a tua opinião ou critica...